Retornar

  O Comendador Joaquim José de Sousa Breves, foi o maior dos Breves, figura patriarcal de grão-senhor rural. O mais opulento fazendeiro no Brasil Imperial, rei do café de sua época. Nasceu em 1804 na fazenda Manga Larga em Piraí, faleceu em 1880 na fazenda de São Joaquim da Grama, em São João Marcos, sede das inúmeras propriedades agrícolas que lhe pertenciam. O maior dos Breves era de um temperamento impulsivo .... Ao dinheiro não dava grande apreço, achando que a moeda, redonda como é, foi feito para rodar. Na sua fazenda da Grama, magaçadas de cédulas do Tesouro Nacional escorriam pelas gavetas entreabertas e uma das criadas graves, velha preta, que assimilara a voz e os gestos da patroa, confessou pouco antes de morrer, que se apoderara sub-repticiamente de muitas dessas boladas, para mandar comprar cosméticos e água-de-cheiro aqui no Rio.(Agrippino Griecco - 1927*)  
 

Comendador Joaquim José de Souza Breves. Col. IHGB-RJ

 
     
  Da Marambaia no Rio de Janeiro ao Piumbí nas Minas Gerais - O feudo dos Breves  
 

                                                                                                                 

 

O rei do café no Brasil Imperial

 
  1. Comendador Joaquim José de Sousa Breves

  2. Imperial Guarda de Honra de Dom Pedro - 7 de setembro de 1822.

  3. O casamento do rei do café

  4. Maria Isabel de Moraes Breves

  5. Marco do poder agrário dos Breves

  6. Relação de fazendas - os grandes latifúndios

  7. As fazendas e a produção de café - Inventário do Comendador

  8. A produção de Santo Antonio de Olaria - Inventário do Comendador

  9. Auto de Partilha - total dos bens - Inventário

  10. Inventário do "rei do café" - Fazenda Bela Aurora

  11. O testamento do "rei do café"

  12. A revolução Praieira e Pedro Ivo

  13. Joaquim José de Souza Breves Filho - O Republicano

  14. Breves na política - Saquarema ou Luzia?

  15. Os partidos Liberal e Conservador

  16. A influência de Joaquim Breves nas eleições

  17. A demanda. Litígio entre Moraes e Breves

  18. A capela de São Joaquim da Grama. Última morada?

  19. Cartas do rei do café.

  20. A colônia de portugueses da Ilha da Madeira em Passa-Três

 
 
 
 
  *Referências:
GRIECCO, Agrippino. Obras Completas.Vol. 8. Editora José Olympio. 1947.
GRIECCO, Agrippino. Recordações de um mundo perdido. Livraria José Olympio Editora. Rio de Janeiro, 1955.
 
     
     
 
© 1996/2013— Todos os direitos reservados: Aloysio Clemente M. I. de J. Breves Beiler.
História do Café no Brasil Imperial - brevescafe.net - Rio de Janeiro, RJ.