RETORNAR

 

 

 
   

No Brasil Imperial, o casamento sucessivo de gerações entre si - primos com primas, tios com sobrinhas, propiciava o acúmulo das riquezas, a perpetuação do nome, de dinastias e a formação da clã. Os Breves de maior poderio eram chamados de "graúdos" em detrimento dos "miúdos" ou de pouca importância social. Mas todos os Breves são parentes. Os Moraes Breves ou Breves de Moraes, os Oliveira Bello Breves, Monteiro de Barros, Breves Monteiro de Barros estavam e estão intimamente ligados por laços de sangue.

 
    Gonçalves de Moraes, Oliveira Rôxo, Monteiro de Barros, Bello, Lima e Silva
Titulares do Império, primos entre si ligados aos Breves.
 
   

                                                                                                                 

As ligações familiares
 
  1. Os Gonçalves de Moraes - Barões de Piraí

  2. O capitão Mata-Gente

  3. Maurice Haritoff - Um fidalgo russo na Corte brasileira

  4. O Barão de Mambucaba

  5. A condessa Rita Maria de Souza Breves e o conde Fé d'Ostiani

  6. O casamento de Paulina Breves com os Montholon-Sémonville

  7. Os Oliveira Roxo - Barões da Vargem Alegre

  8. Os barões de Guararema

  9. Os Monteiro de Barros

  10. Os Moraes Costa

  11. Os Breves Flores e Konder - alemães no sul do Brasil

  12. Os Moraes Niemeyer

  13. Os Ottoni

  14. Os Streva

  15. Os Oliveira Belo

  16. Os Lima e Silva

  17. Os Cornelio dos Santos

  18. Os Breves Sauzey

  19. Os Souza Breves de Piraí

  20. O Coronel Breves de Além-Paraíba

  21. O barão de Louriçal

 
 
       
       
    © 1996/2013 — Todos os direitos reservados: BREVESCAFÉ - História do Café no Brasil Imperial  
    Aloysio Clemente M. I. de J. Breves Beiler. Rio de Janeiro, RJ.